Projeto Semeando Cidadania será implantado no município de Barras

Os créditos de instalação que iremos trabalhar dentro desse acordo é o Fomento, que chega ao valor de R$ 6.400,00 reais por família e o Fomento Mulher, que chega o valor de R$ 5.000,00.

Na manhã da última Quinta-feira, 28 de Junho de 2018, o prefeito Carlos Monte, de Barras, cidade piauiense distante 120 Km ao norte de Teresina,  se reuniu com o coordenador do Projeto “Semeando Cidadania”, José Gerônimo, em Barras para discutir instalação do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA) nos assentamentos da cidade.

O projeto tem como objetivo a prestação de serviços em assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), com vistas à concessão e operacionalização dos créditos e instalação do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA), nas modalidades Fomento e Fomento Mulher, aos beneficiários dos Assentamentos do Piauí.  No município, 12 assentamentos foram contemplados.

O coordenador do projeto José Gerônimo, explicou como funcionará a instalação nos assentamentos. “O projeto é um acordo de cooperação técnica entre o Emater estadual e o INCRA e agora ele vem pra questão da liberação do crédito de instalação nos assentamentos implantados pelo INCRA. Os créditos de instalação que iremos trabalhar dentro desse acordo é o Fomento, que chega ao valor de R$ 6.400,00 reais por família e o Fomento Mulher, que chega o valor de R$ 5.000,00. Esses creditos são para serem investidos nas famílias e nas mulheres assentadas. As mulheres podem implantar qualquer tipo de projeto dentro do assentamento”, disse.

De acordo com o coordenador, a mulher que se propor a implantar um projeto tem de seguir todas as exigências estabelecidas, como “ela tem de morar dentro do assentamento, os investimentos só poderão ser dentro do assentamento, poder ser em criação de galinha, peixes, horticultura, caprinos e ovinos, como também nos outros projetos artesanais, bolos e salgados, salão de beleza. Não pode investir em bebidas alcoólicas, revendas de produtos. Se ela se propuser a fazer o projeto de fabricação de roupa ela terá de participar do processo e não poderá comprar na cidade pra vender no assentamento”, explicou.

Comentários estão fechados.