Mundo: Piauiense está no local por onde passa o furacão Sandy nos EUA

A piauiense Luana Oliveira, que mora há três anos nos Estados Unidos falou ao telefone com o jornalista Silas Freire sobre a situação provocada pelo furacão Sandy nos Estados Unidos.

No programa Agora, da TV Meio Norte, a jovem contou que mora na Filadélfia e trabalha há dois meses em Nova York, regiões devastadas, assim como a Pensilvânia onde, segundo Luana, já morreram três pessoas, duas por afogamento e outra por conta de queda de árvores. “Só aqui na Filadelfia cerca de 300 árvores caíram, deixando muita gente sem energia elétrica.

O furacão provocou paralisação nas cidade. “Desde domingo [31/10] não estamos autorizados a sair nas ruas, o mercado financeiro dos Estados Unidos está fechado, mas por enquanto, aqui por perto está tudo bem. Em Nova York, onde eu trabalho há dois meses, tudo está parado não tem metrô, os carros estão agora sendo autorizados a sair nas ruas. Não tem ônibus, não tem metrô, não tem trem. Ninguém foi trabalhar”, comentou a jovem.

Perguntada sobre a situação de momento, ela respondeu “o  furacão passou aqui nessa noite e seguiu para Nova Iorque, agora em forma de tempestade forte [uma categoria menor que furacão]. A princípio, pensava-se que era exagero e que não seria tão forte quanto o furacão Katrina, que devastou os Estados Unidos anos atrás, porém foi percebido que esse agora é muito mais forte”, comentou Luana Oliveira.

Ao final da entreivista, Luana também lembrou da pessagem do furação Irene, quando as pessoas compraram muita água, comida e pilhas. Segundo ela, isso serviu de aprendizado para se prepararem para o furacão Sandy, que foi pior do que o Irene.