Incêndio atinge Serra das Confusões e brigadistas tentam controlar fogo

Um incêndio atinge o Parque Nacional da Serra das Confusões e os brigadistas estão há pelo uma semana controlando as chamas para que o fogo não se alastre na área, tomando proporções ainda maiores.

O gestor da Serra das Confusões, José Wilmington Paes Landim Ribeiro, o Mitinha, informou que o fogo iniciou fora do parque, no município de Cristino Castro, e propagou-se para dentro da unidade. A área da Serra das Confusões abrange 11 cidades, dentre elas Cristino Castro.

“Os brigadistas do parque estão no local. Por enquanto, o fogo está sob controle, mas ele é imprevisível. Você pensa que está controlado, e ele toma uma força intensa”, explicou Mitinha.

Ela relatou que os brigadistas estão em uma linha de defesa contra o fogo para que ele não avance o perímetro e se perpetue no parque.

Até o momento, apenas os brigadistas estão no local, mas caso necessite será pedido reforço para conter as chamas.

O gestor ressaltou que os focos de incêndios neste período do ano é comum devido as altas temperaturas e a baixa umidade. “Está muito quente e seco”, disse.

A informação de que na semana passada, a Estação Ecológica de Uruçuí-Uma, na região de Bom Jesus, sofreu alguns focos de incêndio na semana passada, mas foram controlados pelo brigadistas. O grupo passou por capacitação para reforçar o uso controlável do fogo e evitar incêndios neste período do ano, considerado um dos mais críticos.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí (Semar) realiza o monitoramento diário de queimadas e incêndios; além disso promove a  capacitação e treinamentos ao brigadistas para uma atuação rápida no controle de princípios de incêndios.

Nesta semana, uma equipe da Semar viajará para a região da Serra das Confusões para reforçar a capacitação dos profissionais.

Municípios 

A Semar elencou seis municípios considerados pontos críticos para focos de incêndios neste período do b-r-o-bró, conhecido pelas altas temperaturas e a baixa umidade de ar no Estado.

O auditor fiscal ambienta, Carlos Eduardo da Silva, citou que Canto do Buriti, Oeiras, Cristino Castro, São José do Peixe, Regeneração e Alvorada do Gurgueia são os municipios que, neste momento, necessitam de uma atuação rápida no combate ao fogo caso venha a ocorrer algum incêndio.

Carlos Eduardo também ressaltou que neste ano houve um detalhe atípico, os princípios de incêndios tão comuns a partir de setembro foram iniciados ainda no mês de agosto.

“Nós sempre esperamos muitos focos de incêndios neste época do ano, devido a questão meteorologia.  Agora em setembro está terrível. Tivemos fogo em Uruçuí em agosto”.

O auditor enfatiza a cooperação dos gestores municipais no combate aos incêndios.  “O problema não é apenas do Estado. Precisamos inserir os municípios dentro dessa problemática, a ajuda deles na preocupação com os seus próprios territórios para uma atuação de combate mais rápida”.

%d blogueiros gostam disto: