Projeto quer separar presos perigosos dos de menor poder ofensivo nas cadeias

O secretário estadual de Segurança Pública do Piauí, Fábio Abreu, concedeu entrevista na manhã desta quarta-feira (24/04), ao apresentador Silas Freire, no programa Ronda Nacional e falou sobre seus projetos na segurança do Estado. 

Fábio Abreu foi questionado por Silas Freire sobre a prática de roubo que tanto assusta a população e tem aumentado no Estado. O secretário afirmou que já tem um projeto sobre o assunto. 

Crédito: Wellington Benário

“O que nós buscamos é colocar em prática aquilo que nós planejamos no final da primeira gestão, logicamente que nós fizemos a primeira gestão sob um plano emergencial de segurança pública e agora nós estamos em condições de dizer que o nosso norte é um plano permanente de segurança, um plano que a previsão dele é 20 anos. A gente fez esse projeto ouvindo as pessoas, o que a população mais sente medo é do pequeno roubo, do crime patrimonial e por isso que nessa gestão nós vamos estar focados exatamente nesse público, nessas ações menores, sem deixar de estarmos fazendo as grandes operações. Vamos utilizar a tecnologia a nosso favor. O que as pessoas mais reclamam que são roubadas? O celular. Então nosso projeto é buscar evitar que haja esse roubo, não conseguindo, nós vamos estar recuperando esses celulares em tempo recorde, nosso objetivo vai ser em no máximo dois dias nós termos essa recuperação, normalmente esses celulares são roubados para alguém comprar, só existe a maioria dos roubos porque existe o receptador, o celular é muito mais fácil e mais preciso de eu identificar uma pessoa que comprou porque ele vai estar com o aparelho na mão, então não tem como ele não dizer que o aparelho não estava com ele. Ele vai ser autuado por receptação, nós vamos dar uma característica exclusiva para essa Delegacia de Crimes Virtuais com esse setor especifico para essa recuperação de celular”, declarou.

Silas Freire afirmou que acabar com o comprador do roubo é primordial, mas a Secretaria deve ter outras prioridades. “A importância não é o celular, o problema é eu perder a minha vida por causa de um celular”, disse. 

“O fato dele estar comprando ali aparentemente pode ser uma coisa simples, mas no contexto geral ele está fomentando o mercado que pode chegar até um motivo fútil”, acrescentou Fábio Abreu. 

Sobre a separação de presos por crimes cometidos, o secretário afirmou. “Eu falo isso por experiência própria, um indivíduo da região do grande Dirceu que eu prendi pela primeira vez roubando bicicleta, a última informação que a gente teve dele é que foi pego na Paraíba roubando banco, houve uma evolução muito grande desse indivíduo e não foi de outra forma a não ser o meio que ele foi inserido quando foi preso pela primeira vez. O nosso objetivo é exatamente fazer com que indivíduo que tem na sua característica inicial o roubo menor, seja punido somente com aqueles que fazem aquele roubo, em nenhum momento ele vai ter intercâmbio com assaltantes de bancos, nós vamos desfazer esse sistema de escola do crime com relação a gerenciamento de riscos que vamos implementar”, afirmou. 

%d blogueiros gostam disto: