Prefeitura de Teresina busca adequar município à Política Nacional de Resíduos Sólidos

A Prefeitura de Teresina, através da Coordenação de Concessões e Parcerias, está colocando em prática um modelo inovador na gestão de resíduos sólidos da capital piauiense, o projeto trabalha com meios mais limpos dentro das etapas da gestão de resíduos sólidos, como transporte, tratamento e destinação final de dois tipos de resíduos, os denominados de residuos domiciliares (RDO) e os de conservação urbana (RPU), dando prioridade à coleta seletiva e reciclagem, além da recuperação de energia, adequando o setor às determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos e oferecendo um melhor tratamento ao lixo domiciliar urbano e rural coletado na capital.

Na elaboração do novo modelo de tratamento e disposição final dos resíduos sólidos de Teresina, a utilização do biogás, que possibilita um maior aproveitamento de energia, foi considerada e seus custos avaliados dentro da escolha da tecnologia a ser adotada na recuperação do biogás, e dependerá da concessionária a ser escolhida através de processo licitatório, num modelo de Concessões e Parcerias. Dessa forma, a recuperação energética do biogás fará parte do rol de soluções a serem adotadas no projeto em desenvolvimento pela Prefeitura de Teresina.

“Através dessa concessão, a Prefeitura busca trabalhar de uma maneira que atenda ao máximo toda a população teresinense, elevando o nosso trabalho ao patamar federal na gestão de resíduos sólidos, trazendo modernização e funcionalidade para o serviço prestado à população”, explica João Henrique Sousa, Secretário Municipal de Planejamento.

Essa metodologia utilizada pela Prefeitura procura beneficiar toda população teresinense, melhorando a forma que trabalhamos com o nosso meio ambiente e possibilitando melhores oportunidades nas condições trabalhistas dos que vivem da coleta desses resíduos, fazendo disso uma prioridade. “Desde a concepção deste plano, os catadores que atuam no aterro municipal e os autônomos são peças-chave para o funcionamento final desse modelo, que busca uma melhoria na qualidade de vida de toda população teresinense e condições mais adequadas de trabalho”, conclui Júlio Rodrigues, coordenador de Concessões e Parcerias.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê o descarte em aterros sanitários como a última alternativa a ser utilizada, após esgotadas as possibilidades de reuso dos resíduos, a separação de componentes potencialmente recicláveis e a recuperação energética. Na concepção do novo modelo de tratamento e disposição final dos RSU de Teresina, a utilização do biogás (seja captado diretamente do aterro ou obtido por meio de decomposição anaeróbica dos resíduos em usinas) foi considerada e seus custos avaliados.

%d blogueiros gostam disto: