Motoristas do Samu protestam e cobram regularização da profissão em Teresina

Condutores de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) protestam na manhã desta sexta-feira (28) pela regularização da categoria profissional. O ato acontece em frente a sede do SAMU, localizada no cruzamento das avenidas Miguel Rosa e Gil Martins, na zona Sul de Teresina. 

De acordo com Oziel Ferreira, motorista de ambulância pelo SAMU há dois anos, uma lei de abrangência nacional, e já aprovada em outras regiões do Piauí, reconhece a profissão de condutor socorrista. Segundo a categoria, até o momento, a legislação não foi aprovada em Teresina. 

“Essa lei 12.998 foi aprovada em 2014 e diz que a gente tem que fazer mais cursos de qualificação, tem que mais triagens, ou seja, são mais obrigações em cima da gente e essa lei mostra que nós existimos de fato. No contracheque, nós não somos nem tratados como condutor socorrista, somos tratados como motorista e no mundo jurídico tem diferença, então ela precisa ser regulamentada”, explica o condutor. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com 

Além dessa regulamentação, a categoria também pede por mais infraestrutura no serviço e qualidade das ambulâncias. 

“O movimento busca a valorização do pessoal, e nós incluímos não só os condutores, mas os técnicos de enfermagem, médicos, os profissionais que fazem parte e também a infraestrutura que nós temos que são os veículos, os veículos estão sucateados e às vezes a gente não tem condição de chegar até o paciente porque o carro não leva ninguém até lá”, acrescenta Oziel Ferreira. 

Wildomark Vasconcelos, motorista pelo SAMU há quatro anos acrescenta ainda que o ato não interrompeu os serviços das ambulâncias na cidade e que os 11 veículos seguem rodando. 

“Hoje nós temos 11 ambulâncias em Teresina e todas as 11 estão rodando, aqui são só os condutores que estão de folga. O SAMU tem 17 anos e a gente só quer essa reparação, nós estamos se desgatando, morrendo e não estamos sendo recompensados. A gente pede que Prefeitura nos ajude, nós não estamos parando nenhuma ambulância, só pedimos esse reconhecimento”, acrescenta Wildomark Vasconcelos.

Em nota, a Prefeitura de Teresina informou que a demanda da categoria será analisada individualmente e que o Poder Executivo deverá receceber os representantes.  

Confira nota na íntegra:

A Prefeitura de Teresina informa que, em relação à regulamentação profissional dos trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e demais categorias que pleiteiam esta demanda, será analisada individualmente após a definição do reajuste salarial geral que será ofertado a todos os servidores municipais da capital.

Na terça-feira (1), o prefeito Dr. Pessoa e técnicos financeiros irão se reunir para avaliar qual será o percentual de aumento nas remunerações e seu impacto na folha salarial ao Tesouro Municipal. Definido este índice, o Poder Executivo receberá os representantes de cada uma das categorias que reivindicam a regulamentação profissional.

%d blogueiros gostam disto: