Procurador eleitoral pede inelegibilidade de Wellington Dias e Regina Sousa por abuso do poder econômico e uso de propaganda ilegal

O procurador regional eleitoral, Marco Túlio Lustosa Caminha, pediu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a inelegibilidade do ex-governador Wellington Dias (PT), pré-candidato ao Senado, e da governadora do Piauí, Regina Sousa (PT), por abuso do abuso de poder econômico e porque foram beneficiados em um grande esquema montado por uma rede de empresas de propaganda ilegal na internet, durante a campanha eleitoral de 2018. A decisão de Marco Túlio Lustosa Caminha foi tomada dentro de uma ação de investigação judicial eleitoral proposta pela Coligação Piauí de Verdade contra José Wellington Barroso de Araújo Dias, Maria Regina Sousa, Joyce Moreira Falete Mota, Miguel Correa da Silva Junior, Luis Felipe Veloso de Lima, Rodrigo Queles Teixeira Cardoso e Isabella Bomtempo, por abuso de poder econômico.

Segundo a Coligação Piauí de Verdade, encabeçada pelo então candidato a governador pelo PSDB, Luciano Nunes, Wellington Dias e Regina Sousa, eleitos para governador e vice-governadora, e os outros candidatos foram beneficiados em um grande esquema montado por uma rede de empresas de propaganda ilegal na internet, durante a campanha eleitoral de 2018 e funcionava por meio de influenciadores digitais pagos para produzirem conteúdos de forma orgânica e favoráveis aos candidatos do Partido dos Trabalhadores nas redes sociais, sem qualquer sinalização de que se tratava de propaganda patrocinada, criando estados mentais positivos em relação aos candidatos petistas, em séria afronta à legislação eleitoral.

“O candidato à reeleição, Wellington Dias, e sua vice, Regina Sousa, teriam sido diretamente beneficiados pelo esquema engendrado no dia 26/08/2018, ocasião em que a campanha de Wellington Dias esteve entre os assuntos mais comentados da plataforma Twitter, figurando no trending topics da rede social”, disse o advogado da Coligação Piauí de Verdade, Carlos Yuri de Araújo de Morais.

O procurador Marco Túlio Lustosa Caminha concluiu pelo ilícito de abuso de poder econômico, especialmente quanto à utilização de recursos financeiros de pessoa jurídica para a criação e o desenvolvimento de aplicativo de internet em benefício de candidato, conduta carregada de gravidade suficiente a justificar a imposição da pena, conduta dos investigados caracteriza abuso de poder econômico.

“A Procuradoria Regional Eleitoral manifesta-se pela procedência da ação para reconhecer-se a prática de conduta abusiva pelos investigados, em benefício da candidatura de Wellington Dias e Regina Sousa, com a consequente cassação do mandato dos candidatos beneficiados e declaração de inelegibilidade de todos os investigados.

Confira o documento.

%d blogueiros gostam disto: