Sílvio Mendes se reúne com membros do Conselho Regional de Odontologia

Promover uma saúde de qualidade e acessível a todos é um dos principais objetivos do pré-candidato a governador Sílvio Mendes (União Brasil). Em busca de conhecer de perto as reais necessidades da população e classes de trabalhadores da saúde, o pré-candidato esteve em um bate-papo com membros do Conselho Regional de Odontologia (CRO-PI) e sindicato da classe na noite desta terça-feira (19).

Na ocasião, Sílvio relembrou sua experiência como gestor público durante seu mandato como prefeito de Teresina, e enfatizou uma série de estratégias que criou para melhorar o atendimento público de saúde na capital. Mendes pontuou que hoje em Teresina existem 187 mil procedimentos da área da saúde aguardando serem realizados, desde internação a exames.

“A diferença entre um hospital público do privado, é que se o privado não for eficiente, ele fecha as portas. Já o público continua aberto mesmo com suas dificuldades. Antigamente, por exemplo, tínhamos problemas de exames complementares. Havia poucas vagas para atendimento, poucos bioquímicos para atender demandas e só realizavam três tipos de exames que em muitos casos não solucionavam. Mas isso foi mudado, e tudo isso só pudemos fazer quando nos propomos a conversar de fato com quem é afetado pelo problema, e identificamos e trabalhamos por soluções”, lembrou.

Entrega de documentos

Durante a reunião, Fausto Aureliano, presidente do CRO-PI, entregou a Sílvio Mendes um documento criado por diversas entidades ligadas à saúde buscando contribuir com os planos de melhorias da saúde pública no estado. “Nós do CRO fizemos uma reunião com todas as entidades do CRAS, conselhos, sindicatos, associações, ABO e outras entidades, e elaboramos um documento com algumas pautas de grande importância para que sejam avaliadas e inclusas no seu plano de governo. Fizemos isso não só buscando benefícios para a classe, mas para a sociedade como um todo”, disse Fausto Aureliano.

Sílvio Mendes disse apostar na sua experiência e conhecimento das causas do povo, juntamente com contribuições de entidades e órgãos de competência para elaborar projetos e soluções que beneficiem o piauiense.

“Eu acredito que para cada problema tem uma solução. Não conheço nenhum que não tenha. O diálogo com a população é o primeiro passo. Em seguida, é preciso descentralizar a questão, assumir a responsabilidade de estado, de coordenação, de parceria e de recurso, para que juntos mudemos a realidade da nossa gente e alcancemos um futuro próspero”, concluiu.

%d blogueiros gostam disto: