Maranhão: Prefeito de Santa Inês é preso suspeito de estupro

Ribamar Alves (PSB), de 61 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (29). Ele já havia sido acusado de assédio sexual em dezembro de 2013

O médico e prefeito da cidade de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), de 61 anos, foi preso em flagrante por estupro na manhã desta sexta-feira (29) no município de Santa Inês, a 250 km de São Luís capital do Estado do Maranhão.

Segundo informações da polícia, a vítima que é natural do estado do Paraná possui 18 anos.

A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública Jefferson Portela. Ele adiantou que Ribamar Alves chegou a São Luís de helicóptero para ser ouvido na sede da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA).

Em coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, na sede da SSP-MA, no bairro Cohama, na capital, o delegado Regional de Santa Inês, Rafael Reis, confirmou o ato criminoso ocorrido na noite desta quinta-feira (28) e relatou como tudo aconteceu. “O fato se deu entre 21h e 23h de ontem. A vítima que tem 18 anos e é oriunda do estado do Paraná foi até a casa do prefeito vender livros e ele a convidou para um passeio com a desculpa de que iria comprar os livros e dentro do carro ele abordou ela. Ele entrou direto em um motel e lá apesar de não ter sido agredida foi caracterizado o estupro”, relata.

Ainda conforme o delegado, essa não é a primeira vez que ele havia assediado a vítima. Ele afirma que em depoimento a polícia ela confirmou que Ribamar Alves já havia a procurado por meio do aparelho celular. “Após o crime a vítima nos procurou e ela disse em depoimento que na verdade ele já vinha assediado ela por meio de celular”, conta.

O delegado disse que por telefone, o advogado Ronaldo Ribeiro, que defende Ribamar Alves, confirmou que o prefeito manteve relações sexuais com uma mulher e que esta seria de maior. “Foi tudo consensual”, afirmou.

Crime de assédio sexual.

No dia 19 de dezembro de 2013, Ribamar Alves cometeu assédio sexual contra a juíza de Santa Inês, Larissa Tupinambá. O caso, confirmado pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), ocorreu quando o prefeito teria buscado a juíza para tratar de assuntos municipais.

Fonte: G1MA

 

%d blogueiros gostam disto: