Em audiência pública Teresa Britto discute falta de medicamentos de uso contínuo

Hoje pela manhã nesta quarta – feira (27), na Câmara Municipal de Teresina, foi realizada uma audiência pública para discutir a falta de medicamentos de uso contínuo e a sistemática de marcação de consultas para pacientes renais crônicos, transplantados e outras patologias de proposição da vereadora Teresa Britto (PV).

 De acordo com a parlamentar, inúmeras pessoas com insuficiência renal crônica e transplantados denunciam a falta ou atraso na distribuição dos medicamentos pela Farmácia de Dispensação de Medicamentos Excepcionais do Piauí.

 “É um desrespeito ao direito à vida desses pacientes fragilizados pela falta de um tratamento normal e responsável. Queremos uma prestação de contas dos órgãos responsáveis, pois essas pessoas dependem dos medicamentos para garantir sua sobrevivência”, comenta Teresa Britto.

A Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Piauí denunciou, durante audiência pública que aguardam há mais de três meses pelos remédios distribuídos pela Farmácia de Dispensação de Medicamentos Excepcionais.

Medicamentos essenciais para o tratamento de cerca de dois mil pacientes com insuficiência renal no Estado, como hidróxido de ferro e cápsulas de cálcio, estão em falta na Farmácia de Dispensação. Os pacientes, que também necessitam de, pelo menos, 12 sessões de hemodiálise, reclamam da sistemática de marcação de consultas.

“Não há um planejamento adequado dos gestores visto que o Estado já sabe a quantidade de pacientes que necessitam desses medicamentos. Mas, infelizmente, a compra desses remédios só é feita quando o estoque acaba e, por conta do processo licitatório, há uma demora inconcebível. A demora na marcação de consultas também é outro problema que precisa ser resolvido com urgência”, diz o presidente da Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Piauí, Luís Gonzaga Filho.

A vereadora Teresa Britto considera “inaceitável a morosidade do Governo do Estado em resolver um problema que envolve milhares de vidas. São pessoas carentes, que não podem ficar sem esse tratamento. Vamos acionar o Ministério Público para que essa triste situação seja resolvida o quanto antes”.

O diretor de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde, Jean Batista, reconhece o atraso na distribuição dos medicamentos, mas explica que a situação já foi solucionada. “Todos os cinco tipos de medicamentos para renais crônicos distribuídos pelo Estado já estão disponíveis e, para que esse atraso não ocorra novamente, já antecipamos a compra dos medicamentos por mais cinco meses”, esclarece.

Dentre os encaminhamentos da audiência estão a criação de uma comissão permanente de todos os órgãos envolvidos na assistência aos pacientes crônicos renais; convocação da Fundação Municipal de Saúde e as clínicas que realizam hemodiálise em Teresina para esclarecer o processo de marcação de consultas; solicitar urgência do Governo do Estado na ampliação da oferta de locais para o tratamento de pacientes renais crônicos.

Foram convidados para participar da audiência as secretarias estadual e municipal de Saúde; Ministério Público do Piauí; Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí; Fundação Municipal de Saúde; Farmácia de Dispensação de Medicamentos Excepcionais do Piauí, além de entidades e demais órgãos envolvidos no tratamento de pacientes renais crônicos em Teresina.

%d blogueiros gostam disto: