Após ônibus, transporte alternativo também inicia greve geral em Teresina

Após seis dias de paralisação, os permissionários do transporte alternativo em Teresina iniciaram de fato, nesta quarta-feira (27), uma greve geral diante da falta de abertura para diálogo com a gestão da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS), segundo o Sindicato dos Proprietários Autônomos de Transportes Alternativos de Passageiros do Estado do Piauí (SINTRAPI).

Na última semana, a Strans bloqueou o uso dos ControlCit (máquina usada para o cartão de vale transporte e estudantil dos passageiros) nas vans, desencadeando uma série de protestos entre os permissionários. De acordo com o SINTRAPI, sem aviso prévio, o bloqueio das máquinas inviabilizaria o atendimento à população, uma vez que boa parte dos teresinenses que usam os alternativos dispõem do cartão magnético para pagar a viagem.

O sindicato destacou ainda que cerca de 150 trabalhadores estão prejudicados sem poder circular. Atualmente, o transporte alternativo na capital conta com 40 vans saindo dos bairros a pontos específicos como Shoppings, Centro Administrativo e universidade.

Em nota recente enviada à imprensa, o superintendente da STRANS informou que irá fazer auditoria nos ControlCIT e realizar nova licitação. Diante disso, a SINTRAPI informa que não é contra a medida, e que, caso haja alguma irregularidade, seja apurada, mas que até lá o uso das máquinas seja restabelecido para que as vans voltem a circular.

“O SINTRAPI considera que a STRANS está se utilizando de remédio abusivo para impedir o exercício de atividade dos permissionários, uma vez que a Prefeitura não é detentora do sistema de bilhetagem eletrônica, não lhe cabendo suspender a sua utilização. Ademais em sendo verificadas tais supostas irregularidades, cabe à STRANS realizar a sua função fiscalizadora, aplicando as sanções previstas no contrato, entre as quais não se encontra a suspensão da utilização do sistema de bilhetagem eletrônico”, reiterou o sindicato em nota enviada ao Meionorte.com.

Strans encontrou irregularidade em sistema de bilhetagem

A Prefeitura de Teresina, através da Strans, informou na última terça-feira (26), que a suspensão temporária dos validadores de cartão magnético dos veículos do transporte alternativo de Teresina se deu em consequência de irregularidades atestadas por meio do sistema de bilhetagem eletrônica caracterizando o uso indevido destes meios de pagamento, alem do reiterado descumprimento das ordens de serviço envolvendo número de viagens e rotas por exemplo.

A prefeitura autorizou uma licitação para novos permissionários ampliando inclusive o número de veículos. “A Strans informa também que todas as reuniões com entidades sindicais ocorrem na presença de um membro do juridico da STRANS e do Sindicato além de técnicos da pasta e da assessoria de imprensa para que todas as conversas sejam transparentes e republicanas”, diz trecho da nota.

Motoristas e cobradores de ônibus também anunciam greve

Além disso, os motoristas e cobradores de ônibus também decidiram que vão entrar em greve a partir da meia-noite desta quinta-feira (28), em Teresina. A categoria se reuniu em uma assembleia na manhã desta quarta (27), na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), e decidiu por unanimidade parar por tempo indeterminado.

Os servidores exigem a assinatura da convenção coletiva dos anos de 2020 e 2021 e melhores condições de trabalho. Francisco Souza, Secretário de Previdência e Assistência Social do Sintetro, confirmou a decisão em entrevista ao meionorte.com. Segundo o diretor, a medida chega após tentativas frustradas de negociações entre trabalhadores e as empresas dos ônibus.

%d blogueiros gostam disto: