Serra da Capivara: sem recursos, parque é obrigado a fazer demissão em massa

Mais de 50 pessoas que trabalham na manutenção do Parque Nacional Serra da Capivara, na cidade de São Raimundo Nonato, tiveram que ser demitidas por falta de recursos para cobrir as despesas do local.

Segundo a diretora da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), Niède Guidon, recursos do parque estão retidos pela justiça, entre eles o que mantém os pagamentos dos funcionários.

Niède Guidon
Niède Guidon    Foto: André Pessoa

BUROCRACIA DA JUSTIÇA
O recurso em questão é originário de uma batalha na justiça que se iniciou pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí, além do Ministério Público Federal, onde o Governo Federal teve mais de R$ 3 milhões bloqueados.

O dinheiro seria usado para manutenção do parque por um período, mas apenas parte dele foi liberado. Como o juiz do caso entrou de férias, não foi possível a liberação do restante do valor, prejudicando os pagamentos do parque.

SERVIÇOS ESSENCIAIS AFETADOS
Os serviços essenciais do parque ficam afetados com as demissões, como a segurança do local, que é um patrimônio mundial.

O parque que já teve quase 300 funcionários, tinha cerca de 60 antes da demissão em massa. Apenas quatro guaritas de segurança serão mantidas durante o dia até que a situação seja resolvida. Além do dano ao patrimônio, as demissões causam um impacto grande nas famílias dos funcionários que ficaram desempregados.

Comentários estão fechados.