Encontro África Brasil inicia com debates sobre escravidão no estado do Piauí

Iniciou nessa quarta-feira (17) o evento internacional África Brasil: Narrativas, Ancestralidades e Outros Saberes. Em seu primeiro dia de programação, o encontro contou com mesas-redondas sobre Literatura, Cultura, Educação e Sociedade Indígena. A conferência de abertura aconteceu às 18 horas.

 

O evento faz parte do do VII Encontro Internacional de Literaturas, Histórias e Culturas Afro-Brasileiras e Africanas; IX Colóquio de Literatura Afro-Brasileira e Africana; VI Salão do Livro Universitário (SALIU/UESPI) e o III Encontro Internacional de Culturas Afrodescendentes e Indígenas da América Latina e Caribe. Nesta edição tem como tema “Narrativas, ancestralidades e outros saberes”, a partir do qual pretende-se retomar as reflexões sobre narrativas literárias e não literárias, tendo como fio condutor de percepção a(s) ancestralidade(s), convocando, em mesma dimensão, o cruzamento dos plurais saberes e sabenças de homens e mulheres negros (as) brasileiros(as).

A primeira mesa-redonda teve como tema “A escravidão negra no Piauí”, com os convidados: Prof.ª Drª Francisca Raquel Costa (IFPI), Prof. Dr. Solimar Oliveira Lima (UFPI) e Prof. Dr. Alcebíades Costa Filho (UESPI) e a mediação do Prof. Dr. Túlio Henrique Pereira (URCA).

Alcebíades Costa Filho, docente da nossa UESPI, falou sobre um trabalho que ele vem desenvolvendo com estudantes do curso de História sobre Alimentação nos seus aspectos sociológicos. “Estamos analisando produções alimentícias inicialmente agrícolas, como as famílias rurais do Piauí vivem desde a década de 80 através da caça e pesca e essa trajetória até 2021. Já estão inscritos no PIBID projetos nesse sentido, com minha orientação”, explica.

A professora Francisca Raquel Costa, que desenvolve estudos sobre a temática da escravidão, aponta que em toda a sua experiência de pesquisas buscou trazer e abordar temas de extrema importância. “Parabenizo a todos pela força de manter um evento de renome como esse mesmo em meio a tantas dificuldades. Falar sobre escravidão no Piauí é um momento em que eu penso em minha trajetória e todos os trabalhos que desenvolvi para dar visibilidade para essa temática. O que eu trouxe foi parte da minha tese para que possamos discutir sobre o assunto”, pontua.

Além dessa temática, ainda acontecerão mesas sobre: HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO; RITOS E ESPIRITUALIDADES DE MATRIZES AFRICANAS e LITERATURA E EDUCAÇÃO INDÍGENA.

Acompanhe a programação completa através do canal no YouTube da UESPI Oficial.

Conferência de Abertura

A solenidade de abertura foi realizada na noite de quarta-feira (17). O momento contou a participação da Administração Superior e coordenadores do evento. No início da transmissão foi exibido um clipe, criado pelos compositores piauienses Pedro Ben e André Lima Melo, da releitura da carta de Esperança Garcia, mulher negra escravizada considerada a primeira advogada do Piauí.

 

A conferência de abertura foi proferida pelas escritoras Sónia Sultuane e Deusa d’África (Moçambique) com mediação do Prof. Dr. Sávio Roberto Freitas (UFPB).

Confira todo o evento no canal do Youtbe UESPIOFICIAL

%d blogueiros gostam disto: