Pesquisadora da Uespi revela os impactos e benefícios da extração da opala em Pedro II


A  Profª Drª Lilane de Araújo Mendes Brandão, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), trouxe à tona uma análise da viabilidade econômica, social e ambiental do processo produtivo da opala no município de Pedro II. Com este levantamento a pesquisadora pretende fornecer subsídios para a melhoria contínua desse processo. O estudo detalhado que envolveu observações, pesquisas teórico-práticas e metodologias sobre a opala faz parte da sua tese de doutorado no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Paulista (UNIP).

A tese foi defendida em 2022 e, agora, a professora irá receber uma Menção Honrosa na Universidade Paulista. Esse reconhecimento é atribuído às teses que são consideradas excepcionais em termos de originalidades, qualidade e contribuição para respectiva área de estudo.

“Receber essa distinção significa muito para mim. É um reconhecimento desta riqueza do nosso estado que será apresentada em nível estadual, nacional e internacional. Mais do que isso, mostra que a opala já ultrapassou as fronteiras e prova sua potencialidade”, disse a professora.

A professora Lilane de Araújo Mendes Brandão e seu orientador Prof. Pedro Luiz de Oliveira fizeram observações sobre práticas de lapidário

A opala é uma pedra apreciada por sua beleza e brilho único e o município de Pedro II, distante da capital cerca de 205 Km,  é conhecido por abrigar jazidas consideráveis deste mineral. Nesse sentido, o processo produtivo da pedra apresenta relevância nas esferas internacional, nacional e estadual e é visto como estratégia para promover o desenvolvimento social, econômico e ambiental das localidades detentoras dessa atividade.

Em seu estudo, a professora Lilane de Araújo, do curso de Matemática do campus Torquato Neto,  aponta o impacto da extração, mineração, confecção das joias e a comercialização dos produtos, considerando um conjunto de fatores que contribuem para a sustentabilidade.

Dentre suas observações, ela aponta como é fundamental que o poder público e os agentes envolvidos no processos produtivos da opala, em Pedro II, estejam atentos aos resultados deste estudo, como forma de destacar a importância da adoção de práticas responsáveis de mineração que garantam a preservação do meio ambiente e evitem danos irreversíveis à fauna e flora dos locais.

Foram observadas as capacidades tecnológicas e habilidades do lapidário

“Ao longo da pesquisa foram observados diversos fatores relevantes, tais como o crescimento comercial provocado pela extração da pedra, como essa prática obedece as culturas regionais, como se dá a participação da comunidade nesse processo e, ainda, como este comércio é visto pela sociedade. O objetivo era compreender como a extração da pedra impacta na economia, no meio ambientais e, acima de tudo, na vida das pessoas”, explica a professora.

Em sua tese, a docente alerta para os prejuízos causados, muitas vezes, por práticas de atividades sem as devidas licenças ambientais e outras ações humanas que impactam no ecossistema como um todo. “Nesse contexto, surge a preocupação em avaliar a vida útil das minas, a origem das pedras, as condições de trabalhos, capacidades tecnológicas e habilidades do lapidário. Esses são fatores importantes para agregar valor às gemas e garantir a origem das pedras”, destaca a pesquisadora.

No campo, a professora pôde perceber que esse processo acontece sem o monitoramento adequado dos agentes reguladores em relação aos índices de sustentabilidade e compensação financeira por extração deste minério. “A cadeia produtiva da opala apresenta potencialidades excepcionais em termos econômicos para a região de Pedro II, tais como, o fomento ao turismo ecológico, geração de emprego e renda para a comunidade e o surgimento de novos museus. Logo, é necessário que as riquezas produzidas sejam distribuídas de forma igualitária entre a comunidade”, finaliza Lilane .

A opala é apreciada por sua beleza e brilho único. Pedro II é reconhecida por abrigar jazidas consideráveis deste mineral



Deixe um comentário