Piauí recebe 2ª remessa de vacinas bivalentes para imunização contra a Covid-19


O Piauí recebeu, nesse domingo (12), um total de 64.800 novas doses da vacina Pfizer bivalente. Na sexta-feira (10), o Ministério da Saúde enviou para o estado 32.400 doses da vacina referente ao primeiro lote dos imunizantes bivalentes. Existe ainda a previsão de mais um envio, por parte do ministério, na próxima quarta-feira (15), com 163.542 vacinas.

Em reunião realizada na semana passada, na terça-feira (7), com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) apresentou o esquema de entrega das vacinas e o cronograma do Plano Nacional de Vacinação de 2023, em que o Dia D da vacinação contra a Covid-19 com a bivalente será em 27 de fevereiro.

A distribuição das vacinas bivalentes para os 224 municípios será realizada quando todas as remessas forem entregues.

Seguindo as prioridades elencadas pelo ministério, os municípios devem iniciar os trabalhos de imunização assim que as vacinas estiverem disponíveis para serem retiradas nas regionais de saúde. A população deve ficar atenta às orientações das secretarias municipais de Saúde para receber o imunizante.

Para receber a dose de reforço com a bivalente, a pessoa precisa ter recebido duas doses de qualquer vacina contra a Covid-19. O intervalo de aplicação da dose de reforço com a vacina bivalente deve ser de, pelo menos, quatro meses após a finalização do esquema primário da vacina monovalente ou aplicação da última dose de reforço.

A aplicação da dose de reforço com a vacina bivalente está recomendada para pessoas com 12 anos ou mais, de forma escalonada, que façam parte de um dos grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde.

Pessoas que não fazem parte do grupo prioritário para as doses de reforço de vacinas bivalentes, e que não iniciaram a vacinação ou que estão com o esquema de duas doses monovalente incompleto, deverão completar o esquema vacinal já preconizado com as vacinas Covid-19 tradicionais.



Deixe um comentário