Gerente de loja sequestrado em Teresina relata momentos de terror

O gerente da loja que foi rendido durante o roubo de uma carga de eletrônicos ficou com uma arma apontada na nuca por cerca de 1 km durante o trajeto do supermercado [onde fazia compras] ao depósito da loja onde estava armazenada a mercadoria. O prédio não tinha segurança armada, apenas vigilância eletrônica. O próprio gerente foi obrigado a desarmar o alarme para a entrada dos criminosos. 

“Eu tinha acabado de sair do supermercado e ia abrir o carro, quando fui abordado por dois homens. Um deles ficou ao volante, eu no banco da frente do passageiro e o terceiro atrás com a arma na minha nuca”, contou o gerente à TV Cidade Verde.  

Ele conta que os suspeitos que estavam no veículo mantinham contato pelo celular com comparsas. O gerente, que tem 31 anos na empresa, revelou os momentos de pânico. O sequestro ocorreu na noite desta quinta-feira (24). Na ação criminosa foi roubada uma carga de aparelho de celulares. 

No depósito, os suspeitos disseram para o gerente colaborar indicando onde estava a carga de aparelhos celulares. 

Carro da vítima foi abandonado entre Teresina e Altos (Foto: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com)

“Eles só queriam os celulares. Fizeram ameaças, que era para eu colaborar, que sabia onde eu morava e que tinha gente lá. Depois do roubo, eles me colocaram no carro e me liberaram ali pertinho de uma faculdade perto do depósito. Um deles estava com a camisa na cabeça, mas não vi nada porque eles me colocaram com a cara na parede”, disse o gerente visivelmente bastante assustado.

O veículo do gerente e pelo menos um carro dos suspeitos foi utilizado no crime. 

INVESTIGAÇÃO

Peritos criminais colheram digitais no veículo da vítima que foi abandonado em uma rua paralela à BR-343 entre Teresina e Altos. 

“O Greco está colhendo provas, primeiramente, no local onde o carro da vítima foi abandonado para direcionar a investigação”, disse o delegado Tales Gomes, coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Delegado Tales Gomes, coordenador do Greco (Foto: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com)

Comentários estão fechados.