BARBARIDADE! Policial é morto na frente do filho na zona Leste de Teresina (Imagens fortes)

O policial militar Samuel de Sousa Borges , 30 anos, foi assassinado com três tiros por outro policial, do Maranhão, no início da tarde desta sexta-feira (1) na rua Cândido Ferraz no bairro Jockey Club na zona Leste de Teresina. 

O acusado, identificado como Francisco Santos Filho, usou duas pistolas (.40 e 38). A confusão aconteceu nas proximidades dos colégios Lerote e Dom Barreto. Ele é lotado no Batalhão da Polícia MIlitar de Timon. A pistola 38 tem obrazão do estado de São Paulo. 

Segundo informações, Samuel de Sousa chegou na escola em uma motocicleta para buscar seu filho de 8 anos quando foi alvejado pelo policial do Maranhão com três tiros nas costas e um na cabeça. A criança presenciou o crime e entrou em estado de choque e foi levado por funcionários da escola para dentro da instituição de ensino, onde seria acompanhada por uma psicóloga.

Samuel de Sousa Borges – PM-PI/ Divulgação

O delegado Willame Moraes, gerente da polícia do interior, afirmou que foi deixar a filha dele no colégio e foi obrigado a intervir na briga. Segundo ele, o policial assassinado era lotado no Batalhão da Polícia Militar de Rondas Ostensivas de Natureza Especial – RONE no Piauí, mas atualmente estava a serviço da Vice-Governadoria do Piauí.

Williame Moraes disse que deu voz de prisão contra o acusado e telefonou para o coronel Lindomar Castilho, pediu apoio da PM e o acusado foi conduzido para Central de Flagrantes de Teresina.

Segundo o delegado Williame Moraes, o policial do Maranhão estava com duas armas, uma utilizada no crime e uma que ele chama de vela. “Estou indo para Central para fazer o flagrante desse militar que matou o policial do Piauí que estava na frente do filho que ele havia ido buscar no Colégio Dom Barreto”

De acordo com informações do delegado, o acusado afirmou que matou o policial porque estava sendo perseguido no trânsito. A policía disse que não vai descartar nenhuma das possibilidades.

Veja vídeos e fotos sobre o caso:

Comentários estão fechados.