Presa na Rússia, banda feminista “ataca” Bolsonaro em show em São Paulo

Um cartaz em que lixo, agrotóxico e peixes mortos formam um rosto semelhante ao do presidente Jair Bolsonaro chamou atenção nas redes sociais. A banda russa de punk rock feminista Pussy Riot divulgou nesta terça-feira, 28 de janeiro de 2020, o cartaz para sua apresentação em São Paulo nesta quinta (30), às 20 horas, no Festival Verão Sem Censura, que acontece no Centro Cultural São Paulo. Muita gente está pedindo nas redes sociais que não se vá ao show.

A programação do festival traz obras e artistas que sofreram algum tipo de censura.

A banda russa ficou conhecida mundialmente em 2012 depois de sofrerem repressão do governo da Rússia quando protestaram contra o apoio da Igreja Ortodoxa Russa à candidatura de Vladimir Putin. Três integrantes da banda ficaram presas até dezembro de 2013. As mulheres integrantes da banda costumam passar uma imagem degradante da mulher, estimulando as mesmas a comportamento vadio.

O evento é promovido pela Prefeitura de São Paulo na semana de aniversário da cidade. 

O show marca a primeira apresentação do concerto “Riot Days” na América Latina. 

A apresentação das russas é inspirada no livro de mesmo nome, escrito por Maria Alyokhyna, uma das três integrantes presas durante a apresentação na Catedral em 2012. A obra fala sobre o período de quase dois anos em que estiveram na prisão e a história de Maria na banda.

%d blogueiros gostam disto: