Semcaspi e Semjuv promovem ação integrativa com população em situação de rua

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), em parceria com a Secretaria Municipal da Juventude (Semjuv), promoveu, na manhã desta quinta-feira, (19), no Centro de Valorização para População em Situação de Rua (CVPSR), uma ação integrativa com a população de rua. O evento aconteceu em alusão ao Dia Nacional de Luta da População de Rua.

A ação integrativa foi intitulada “Expressões da Rua” e contou com dinâmicas, música com DJ, grafitagem e lanche para os assistidos do Centro de Valorização para População em Situação de Rua.

De acordo com Lidiane Oliveira, gerente do Centro Pop/CVPSR, a atividade faz referência ao dia de luta pela população em situação de rua, marcado nacionalmente pelo ocorrido em 2004, que foi o assassinato de sete pessoas que dormiam na Praça da Sé, em São Paulo.

“O que conquistamos, hoje, é fruto deste massacre, embora doloroso. A gente precisar estar relembrando, sempre, para que esta população não fique invisibilizada em nosso cotidiano. A ação ‘Expressões da Rua’ tem este nome em função disso. Entender quem são estas pessoas? O que elas sentem? O que elas falam? Quantas vezes a gente enxerga esta população quando andamos pela rua? Existe muito senso comum e preconceito e a gente precisa romper com isso”, ressaltou.

Edson Araújo, gerente da unidade Casa do Caminho, fala sobre a importância de proporcionar dignidade e cidadania a população de rua, com a implementação de políticas públicas.

“O Dia Nacional de Luta pela População de Rua se transformou numa data para melhorar as condições de vida desta população. A criação do Centro de Valorização, que agregou o Centro Pop e a Casa do Caminho, veio justamente para dar esta resposta. Quando falamos de luta, a gente fala em direitos sociais, direito à moradia, educação, lazer e alimentação. Isso tudo a gente pode ofertar no Centro de Valorização, que marca a história da nossa cidade e a história de cada um destes usuários, que frequentam nossos serviços diariamente”, pontuou Edson Araújo.

Para Débora Ferraz, gerente executiva de Articulação de Projeto da Semjuv, rememorar a data trazendo exemplos de superação é importante por trazer esperança, especialmente, aos jovens que estão em situação de rua.

“A população jovem de rua é muito grande. Estamos ofertando para este público um DJ e um artista plástico, como momento de inspiração. A gente fez questão de convidar estas pessoas, estes artistas, que tiveram um pé nesta realidade. O que eles, hoje, estão produzindo é algo que vai além de arte, é resistência, é luta, é memória”, comentou.

ACOLHIMENTO

Joelson Oliveira, 33 anos de idade, conta sobre a experiência de sair das ruas da capital e ser acolhido pelo Centro de Valorização para População em Situação de Rua, com a sua esposa, Luziana Conceição, que está gestante de sete meses.

“Eu estou na rua com minha esposa e não tenho condições para sair dela agora, por vários motivos. Estamos acolhidos no Centro de Valorização. Aqui, tenho sido bem acolhido, não é apenas um local para dormir e comer, tem um objetivo principal, que é transformar vidas. O acolhimento é importante até a pessoa se preparar para estar de volta a sociedade e ter um emprego”, relatou, que já está há quatro dias acolhido pelo Centro de Valorização.

%d blogueiros gostam disto: