Técnicos do Banco Mundial visitam comunidades rurais do Piauí


O Piauí recebeu a visita de técnicos do Banco Mundial e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). A visita foi acompanhada por gestores e técnicos da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), por meio da Superintendência de Projetos Territoriais de Desenvolvimento Rural (SDR); da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), do Instituto de Terras do Piauí (Interpi) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar).

Foram visitadas as comunidades beneficiadas pelo Programa de Geração de Emprego e Renda no Meio Rural (Progere) I e II. O objetivo foi identificar as necessidades e possibilidades de investimento por meio do projeto Pilares II, que tem como objetivo a geração de trabalho, renda e compromisso com a recuperação de áreas degradadas, como também a preservação ambiental.

O superintendente da SDR, Jairo Chagas, afirma que “nesse primeiro momento estamos identificando as comunidades a serem contempladas para entender o que deve ser feito no projeto, a fim de ter clareza nas ações que possam transformar a vida dessas famílias”. O gestor também pontua que as comunidades não beneficiadas pelo Progere, mas que possuem potencial de se tornarem beneficiárias do Pilares II, também foram visitadas pela equipe.

A primeira comunidade visitada foi o Assentamento São Domingos, em José de Freitas. Lá, são 51 famílias que vivem da agricultura familiar e possuem a possibilidade de crescimento de renda por meio de ações de melhorias e fortalecimento de cadeias produtivas desenvolvidas no assentamento.

A equipe também esteve em outras comunidades como o Assentamento Vassouras, também em José de Freitas, e na Associação de Apicultores de Campo Maior que possui mais de 100 apicultores e tem uma produção anual de 60 a 80 toneladas de mel. A missão também chegou aos municípios Cocal de Telha, Cocal, Batalha e Esperantina, onde estiveram na comunidade quilombola Vereda dos Anacletos, dando foco aos povos tradicionais  e ao papel das mulheres no desenvolvimento do Piauí.



Deixe um comentário