Conselho de Enfermagem protesta contra atraso de salários no Piauí

Os salários de servidores contratados e terceirizados da área de enfermagem do estado do Piauí estão atrasados desde o início do ano.

A denúncia é do Conselho Regional de Enfermagem do Piauí e afirma em nota que a atitude do governo do estado é repudiável.

Apesar de devidamente oficiada, a Secretaria de Estado da Saúde não apresentou nenhum retorno ao órgão de representação da enfermagem no estado.

“Desde o início do corrente os salários estão atrasados e, diante a situação, o COREN – PI oficiou formalmente o Governo do Estado do Piauí por sua Secretária de Saúde com vistas a regularização do pagamento dos salários, sem contudo receber qualquer manifestação de retorno”, diz um trecho da nota.

A nota diz ainda: “Assim, além de laborar, muitas vezes em condições difíceis, com falta de insumos e equipamentos de proteção individual, são obrigados a suportar atrasos salariais.”

Nenhuma providência foi adotada pelo governo para reparar a situação.

NOTA DE REPÚDIO – CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí vem a público manifestar seu veemente repúdio pela falta de pagamento dos profissionais de enfermagem contratados/terceirizados da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí. Desde o início do corrente os salários estão atrasados e, diante a situação, o COREN – PI oficiou formalmente o Governo do Estado do Piauí por sua Secretária de Saúde com vistas a regularização do pagamento dos salários, sem contudo receber qualquer manifestação de retorno. Não resta dúvida que o governo do Estado tem colocado esses profissionais de enfermagem em plano secundário, muito embora eles também estejam nos quadros que previnem, tratam e combatem as mais variadas doenças, dentre elas a COVID -19. Assim, além de laborar, muitas vezes em condições difíceis, com falta de insumos e equipamentos de proteção individual, são obrigados a suportar atrasos salariais. Vale destacar que o salário tem natureza alimentar, condição que faz ser injustificável qualquer adiamento ou atraso no pagamento dos mesmos. É pertinente destacar o princípio constitucional da isonomia entre os servidores públicos, não existindo nesta condição a classificação que estabeleça algum tipo de prioridade para o pagamento dos salários. Diante de um quadro sem perspectiva, com o Executivo estadual não cumprindo sua obrigação legal, o COREN – PI repudia veementemente tal descalabro e se solidariza com os profissionais de enfermagem contratados/terceirizados que prestam serviço para o Estado do Piauí. A falta de pagamento não gera transtorno somente para os servidores e contratados, mas tem reflexo direto no atendimento público. O COREN – PI espera, também, que a Assembleia Legislativa saia de sua zona de conforto e tome atitudes em defesa dos servidores, não ficando apenas nos discursos fisiologistas que não acrescentam em nada na vida do profissional de enfermagem contratado/terceirizado com mais de três meses de atraso salarial. Que os nobres parlamentares legislem e atuem mais em favor das causas coletivas.

Por Toni Rodrigues

%d blogueiros gostam disto: