Justiça determina que governo contrate profissionais da saúde para o Hospital da Polícia Militar

O juiz Aderson Antonio Brito Nogueira, da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina, determinou que o Governo do Piauí contrate profissionais da saúde para o Hospital da Polícia Militar Dirceu Arcoverde (HPM), em Teresina.

A decisão tem como objetivo o funcionamento regular de leitos clínicos e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento de infectados com coronavirus no estado.

No mês passado, o desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí, Edvaldo Pereira de Moura, julgou procedente a ação do Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí (SIMEPI) contra o Estado do Piauí para abertura dos leitos de UTI do HPM sob pena de multa diária de 10 mil reais.

Para o atendimento do setor de triagem, de 40 leitos clínicos, de três leitos de estabilização e da central de material de esterilização, a decisão determinou que, no prazo de 20 dias, sejam contratados cinco psicólogos, 33 profissionais de serviços gerais de limpeza, seis fisioterapeutas, 48 enfermeiros, 96 técnicos de enfermagem, 19 maqueiros e 10 copeiras.

Já para o funcionamento regular de dez leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o HPM deverá contratar, no mesmo prazo, um médico, um médico diarista, nove médicos plantonistas, um enfermeiro, nove enfermeiros plantonistas, um fisioterapeuta, oito fisioterapeutas plantonistas, um nutricionista, quatro copeiras, um psicólogo, 36 técnicos de enfermagem, cinco auxiliares de serviços gerais, cinco maqueiros e cinco auxiliares de farmácia, bem como fornecer equipamentos e insumos necessários a garantir o funcionamento das unidades citadas.

O juiz ainda estabeleceu o prazo de 40 dias para disponibilização dos demais leitos clínicos do HPM, de modo que funcione em sua capacidade máxima, com 99 leitos clínicos.

Por Renayra de Sá

%d blogueiros gostam disto: