Militares perdem a paciência: “Que as algemas voltem a ser utilizadas”

Na última quarta-feira (28), o Clube Militar publicou nota criticando a instalação da CPI da Covid e demonstrando seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

“Temos ‘Marcolas e Fernandinhos Beira-mar’ investigando. O resultado dessa ‘investigação’ já sabemos: culpar o Presidente por aquilo que não o deixaram fazer”, diz a nota.

A publicação questiona tanto os investigadores quanto quem deve ser investigado pela CPI:

“O Estado de Direito, que pressupõe respeito às leis vigentes, particularmente a Constituição Federal só serve para aulas em cursos universitários, porque, na pratica, não é respeitado pelo Legislativo e Judiciário. Esse mesmo tribunal [STF], que ignora a Constituição, conferiu poderes para governadores e prefeitos usarem a pandemia para desviarem dinheiro público e não tratar adequadamente a população, agora culpando o presidente que eles impediram de coordenar as ações.”

A nota também expressa apoio ao presidente, e àqueles que precisam trabalhar em meio à pandemia:

“Que as algemas voltem a ser utilizadas, mas não nos trabalhadores que querem ganhar o sustento dos seus lares, e sim nos verdadeiros criminosos que estão a serviço do ‘Poder das Trevas’”.

Em vídeo, o advogado Luan Amâncio analisou a nota nos mínimos detalhes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: