Piauiense busca dupla cidadania para defender Seleção dos Estados Unidos

A dura vida de imigrante nos Estados Unidos não é fácil. Ser reconhecido e adquirir direitos básicos como voto, estudo e residência permanente chega a ser ultraje para os brasileiros. Porém, em breve, o atacante piauiense Paulo Júnior, camisa 23 do Real Salt Lake vai deixar de ser exceção. Isso porque a autorização para residência permanente (green card) do jogador será emitida no primeiro semestre de 2013 e vai ampliar as chances de o piauiense defender a Seleção dos Estados Unidos.

– Não quero me antecipar, mas sonho em disputar uma Copa do Mundo. Como é imensa a concorrência no Brasil, vi que posso chegar ao Mundial por meio da seleção americana, já que vivo lá há um bom tempo e tenho uma ótima relação com os dirigentes – explicou o jogador, que curte férias com a família no Piauí.

Paulo Junior vive nos Estados Unidos há quase cinco anos, desde quando foi levado por Zinho para jogar no Miami FC, em 2008. Este tempo de permanência lhe confere o direito à autorização de residência por tempo ilimitado, o que acelera o processo de retirada da dupla cidadania.

Embora seja um projeto a médio prazo, Paulo pensa em aposentadoria e estadia tranquila em solo americano.

– Vai facilitar quando eu parar de jogar porque terei livre trânsito entre o Piauí e os Estados Unidos – conta, frisando a importância do documento para aumentar as possibilidades de negociação com outros clubes, por não precisar ser contratado por cota estrangeira.

Carreira sólida nos Estados Unidos

Desde 2008 nos Estados Unidos, Paulo Júnior tem carreira sólida na Major League Soccer, o Brasileirão na Terra do Tio Sam, mas vê seu futuro indefinido em 2013. Como o Real Salt Lake já deu indícios de que deve reduzir os salários de cerca de 90% do elenco, ele pode estar de saída do clube onde foi campeão nacional há três anos.

Campeão em 2009, Paulo Júnior e o Real Salt Lake disputaram a Champions League da América do Norte no ano seguinte, e ele foi um dos destaques do time de melhor campanha de um clube norte-americano na competição. Na oportunidade, o RSL foi derrotado na final pelo Monterrey (MEX) e acabou como vice-campeão.

Nascido em Francinópolis, cidade localizada 184 quilômetros ao Sul de Teresina, Paulo Júnior tem passagens por Flamengo-PI, Piauí, Despotivo Brasil, São Bento, Ituano e Miami FC, sua porta de entrada ao futebol americano.