Garoto morto por ciúmes ganha nome de rua em Teresina

A Prefeitura de Teresina estará homenageando no próximo dia 31 de Agosto, Thalyson Mateus Osório Holanda, garoto de 16 anos morto por cíumes ao se envolver com uma mulher mais velha de 21 anos. O crime aconteceu em Maio de 2015 e causou muita comoção na capital piauiense. Thalyson Mateus era muito querido e morava no Bairro Dirceu Arcoverde, zona sudeste de Teresina.

Os homens apresentados pela polícia como autores do crime, foram presos meses depois, pois estavam foragidos, mas passaram pouco tempo na prisão, logo foram soltos pela questionada Justiça brasileira, que prende com vigor simplesmente quem deixa de pagar pensão alimentícia mas põe assassinos em liberdade. A retirada dos acusados do crime da prisão revoltou o delegado e os policiais que os capturaram, bem como a toda socidade e imprensa teresinense.

Saiba mais sobre o caso, leia abaixo:

A Força Tática 02 do 5º BPM, de Teresina, sob o comando dos cabos W. Silva e dos soldados Sanael, Erasmo e Sousa Borges, prenderam o elemento conhecido como Igor de Araújo Lima, acusado pela polícia de ter matado no dia 9 de Maio de 2015 o jovem de 16 anos Thalyson Mateus Osório, numa festa de swingueira na zona sudeste de Teresina. Tanto o acusado que estava acompanhado de um parceiro que lhe ajudou na fuga, como a vítima, são de famílias de José de Freitas, cidade distante 50 Km de Teresina.

 
Igor de Araújo Lima e Francisco Wilson Viana Chagas, acusados do crime
 
Igor de Araújo Lima, acusado
de ter deferido os tiros que mataram
Thalyson. Foto: reprodução do
Facebook do acusado

Na ocasião do crime, Thalyson Mateus se encontrava acompanhado de uma mulher mais velha que ele, e que teve num passado recente um caso amoroso com o acusado do crime. No momento, rolou uma breve discussão e o acusado foi até seu carro, pegou um revolver e efetuou três tiros no adolescente, tendo um deles atingido sua cabeça por traz e saído na nariz.

Thalyson Mateus era um menino muito querido, estudioso, trabalhador (trabalhava com um tio numa loja na Avenida Miguel Rosa, em Teresina). Ele foi levado por essa mulher para o local do crime, assediado que sempre foi por ela, segundo depoimento de familiares e amigos, mas tinha um relacionamento fixo (namoro) com uma menina de 16 anos, de boa índole, muito bem criada e seguidora de uma igreja evangélica, igreja essa que Thalyson também frequentava.

Durante a prisão de Igor de Araújo Lima na madrugada deste Domingo (10), exatamente um dia após o assassinato ter completando 8 meses, o acusado estava usando tornozeleira eletrônica por determinação da Justiça, até que o processo fosse a julgamento, pois Igor estava foragido e há poucos meses foi apresentado a Justiça por seu advogado. Conforme determinou a Justiça, o acusado não poderia se ausentar de forma alguma da sua residência, a não ser com determinação superior e para causas justas. Mas o acusado do assassinato estava na madrugada deste Sábado (10) em um bar da zona leste de Teresina participando de uma festa promovida naquele local. Igor de Araújo Lima foi de imediato encaminhado para a Casa de Custódia de Teresina, onde deveria ficar em regime fechado, mas o seu advogado conseguiu soltá-lo na tarde deste Domingo (10), provavelmente com o argumento de que Igor de Araújo Lima estava “trabalhando” no bar. “Coisas da irresponsável legislação brasileira que pune cidadãos de bem e dar liberdade para criminosos. Você é preso de imediato por não pagar pensão alimentícia, por sonegar impostos, tem seu carro tomado em blitz se não estiver com o IPVA pago, mas pode matar a vontade, que há brechas suficiente nas maioria das leis vagabundas que regem o Brasil, para lhe proteger e defender. Cidadão de bem não tem vez neste País”, lamentou um dos amigos de Thalyson Mateus em rede social.
 
O local onde Thalysson foi enterrado no Cemitério
São José, recebe quase que diariamente, dezenas de
pessoas que vão rezar e orar pela alma do jovem

O comparsa de Igor de Araújo Lima do ato criminoso, identificado e anunciado a imprensa pelas autoridades policiais, é Francisco Wilson Viana Chaves, ele foi preso um mês após o crime, mas logo solto pela Justiça. Mas ambos estão respondendo na Justiça pelo crime contra a vida de Thalyson Mateus Osório, ocorrido no dia 9 de Maio de 2015, véspera do Dia das Mães. Um dia antes ele havia gravado um vídeo para sua mãe dizendo que a amava muito e que ela era a pessoa mais importante da vida dele. Clique no linque a seguir e veja o vídeo gravado por Thalyson Mateus para sua mãe, um dia antes de ser brutalmente morto: https://www.facebook.com/jefferson.monteiro.161/videos/t.100001841597102/813211748756187/?type=2&theater

Quase que diariamente uma romaria chega ao Cemitério São José, zona norte de Teresina. São muitos amigos que não esqueceram do crime, e nem de Thalyson, e vão rezar e orar no seu túmulo.

 
Páginas foram criadas na rede social Facebook para homenagear Thalyson Mateus, mantendo viva sua imagem e cobrando ação das autoridades na resolução do crime. Clique nos linques a seguir e confira as páginas.

1) https://www.facebook.com/Eterno-Thalyson-Mateus-361491420710819/?fref=ts
2) https://www.facebook.com/thalysonosorio/?fref=ts


 
Thalyson Mateus Osório, morto covardemente aos 16 anos de idade. Um menino simples, mas vaidoso, andava sempre bem vestido, inteligente,  muito popular, chamava bastante atenção do público feminino. No colégio sua presença era uma festa, todos o rodeavam e era sempre motivo de carinho e atenção por parte dos colegas e professores. Segundo depoimentos de muitos dos seus amigos, devido Thalyson ser bonito e popular, causava inveja a alguns, inclusive a pessoa que ceifou sua vida, que já o conhecia de vista.

No seu velório, uma multidão de pessoas a pé, em carros e motos, fez protesto pedindo justiça em frente a casa de velório, situada no Bairro Piçarra, zona sul de Teresina. Essa mesma multidão acompanhou o cortejo até o Cemitério São José, onde o corpo foi enterrado.

Thalyson Mateus trabalhava com seu tio Mauro em uma loja situada na Avenida Miguel Rosa. Em entrevista ao Tribuna de Barras, Mauro disse que meses após a morte do sobrinho amado, ainda sofre muito, que chora toda vez que lembra dele ou ver alguma foto, que Thalyson era assíduo ao trabalho e tão envolvido, que era “seu braço direito” no empreendimento comercial.

No mês de Setembro de 2015 uma equipe de reportagem esteve no túmulo de Thalyson Matheus, quando mostrou uma menina e um menino, debruçados sobre o túmulo e com uma rosa amarela nas mãos, chorando copiosamente e fazendo ao mesmo tempo orações.

Um jovem sadio, cheio de vida, que não fazia mal a ninguém. Seu erro: ir a uma festa de swingueira, igual a essas que acontecem tanto na periferia de Teresina, frequentadas na maioria por pessoas de má índole, acompanhado por uma mulher mais velha e que não estava no mesmo nível social e moral dele. 
 


UM ANJO NO CÉU…

“O vento passa, mas nos refresca; a chuva vem e vai, mas sacia a terra. O importante mesmo não é a quantidade de tempo que as coisas ou pessoas duram, mas a riqueza que elas trazem à nossa alma, o amor que nos permitimos dar e o que aceitamos receber.

As dores das partidas definitivas são indizíveis, indefiníveis, mas que elas nunca nos impeçam de nos lembrar da vida compartilhada.

Que as lágrimas não nos impeçam de sorrir novamente um dia quando a dor for mais amena e as lembranças felizes começarem a voltar, como as flores no jardim a cada primavera.

A eternidade existe para que esperemos por ela, para que tenhamos o consolo de saber que um dia, se o Deus-Pai permitir, Ele que nos ama de amor infinito, poderemos novamente nos encontrar”.


Abaixo, veja em fotos o registro de vários momentos da vida de Thalyson Mateus Osório, agora imortalizado na Vida Eterna e no coração e na mente de todos que tiveram o privilégio de o conhecerem aqui na Terra.

 
 

Partida

a morte de um filho
é uma gravidez às avessas
volta pra dentro da gente
para uma gestação eterna
aninha-se aos poucos
buscando um espaço
por isso dói o corpo
por isso, o cansaço
E como numa gestação ao contrário
a dor do parto é a da partida
de volta ao corpo pra acolhida
reviravolta na sua vida
E já começa te chutando, tirando o sono
mexendo os órgãos, lembrando o dono
que está presente, te bagunçando o pensamento
te vazando de lágrimas e disparando o coração,
A morte de um filho é essa gravidez ao contrário
mas com o tempo, vai desinchando
até se transformar numa semente de amor
e que nunca mais sairá de dentro de ti.

(*) Poema de Bruno Gouveia, da banda Biquíne Cavadão, relatando seu sentimento após a morte do filho
%d blogueiros gostam disto: