Bolsonaro diz contar com ajuda do STF e critica oposição

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que conta com a ajuda de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, aprovada em primeiro turno pela Câmara dos Deputados. Bolsonaro ainda criticou os 144 deputados que votaram contra a medida: “votaram contra os pobres por eu ser o presidente”.

As declarações foram feitas ao lado de apoiadores durante uma entrevista à RecordTV na Praça dos Três Poderes, transmitida ao vivo nas redes sociais do presidente. “Estamos tentando com o Parlamento. Alguns do Supremo têm colaborado nesse sentido também, a parcelar essa dívida enorme”, afirmou Bolsonaro sobre o pagamento de dívidas da União transitadas em julgado na Justiça. Ele havia acabado de deixar a sede da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), onde participou da cerimônia do leilão do 5G.

O chefe do Executivo voltou a defender o parcelamento de precatórios. “Supremo botou tudo no meu colo para pagar de uma vez só”, repetiu, sobre a decisão da Justiça de executar os pagamentos, que poderão ser parcelados se a PEC for aprovada.

Bolsonaro foi à Anatel e à Praça dos Três Poderes sem usar máscara de proteção contra a covid-19 ou estar vacinado, mesmo após dizer mais cedo que está gripado.

Após dias de negociações e promessas de emendas parlamentares, o governo conseguiu aprovar em primeiro turno, nesta madrugada, por margem estreita, a PEC dos precatórios. Foram 312 a 144 votos, apenas quatro a mais do que o necessário.

O segundo turno deve acontecer na próxima terça-feira, de acordo com o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

Além de parcelar o pagamento de precatórios, o texto muda o teto de gastos para viabilizar o pagamento de R$ 400 do Auxílio Brasil ao longo de 2022, ano eleitoral.

Fake news

Bolsonaro ainda voltou a dizer, na Praça dos Três Poderes, que a chegada da rede 5G ao País vai impedir a propagação do que chama de fake news sobre a Amazônia.

“Indígenas vão poder, brevemente, mandar imagens da Amazônia para o mundo todo. Há uma ideia muito distorcida do Brasil lá fora”, declarou. O País é criticado internacionalmente por sua política ambiental.

Elogio a Lira feito por ministro

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, fez um agradecimento público ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Lira trabalhou intensamente para garantir uma vitória ao governo na proposta, que abre espaço de R$ 91,6 bilhões no Orçamento de 2022 para o pagamento do Auxílio Brasil e outros gastos às vésperas da eleição presidencial.

O elogio ao colega foi feito durante a cerimônia de abertura da sessão do leilão da tecnologia 5G. “Quero cumprimentar esse grande presidente da Câmara que chegou para fazer a diferença. Fez nesses últimos meses muito mais do que todos os outros fizeram ao longo dos últimos anos”, afirmou Faria a Lira.

O ministro das Comunicações também ressaltou as inovações que serão implantadas a partir do 5G. Segundo ele, o Brasil será o primeiro país da América Latina a ter a tecnologia. “Hoje é o dia mais importante da minha vida pública. Hoje é um dia que vamos mudar a vida dos brasileiros”, disse.

“Vamos ter o primeiro 5G da América Latina e vamos mostrar ao mundo que o Brasil está na economia digital, Brasil vai virar um hub de inovação, para receber empresas, investimentos de inovação, tecnologia, empresas que vem da Ásia, Europa, para que do Brasil possamos exportar tecnologias”, afirmou Faria. “Vamos arrecadar R$ 50 bilhões onde R$ 40 bilhões para investimentos e R$ 10 bilhões irão para o Tesouro”, continuou Faria, que agradeceu ao ministro Paulo Guedes, da Economia, por “autorizar” a realização de um leilão não focado na arrecadação ao Tesouro.

O ministro também se mostrou otimista com os resultados da economia brasileira para os próximos anos, a partir da chegada do 5G. “26% do PIB vem do agro; com leilão, está na hora de rever PIB do ano que vem e para os próximos 10 anos”, disse o auxiliar de Bolsonaro, que ressaltou também a conexão de internet que chegará às escolas públicas.

No discurso, que perpassou por algumas das iniciativas do governo Bolsonaro, Faria falou ainda sobre a implementação do PIX, pagamento instantâneo brasileiro, chamando a inovação de “guerra contra os bancos”. “O governo teve coragem de implementar”, disse.


Fonte: Estadão Conteúdo

%d blogueiros gostam disto: