Dr. Pessoa assina acordo com empresários e determina retorno imediato dos ônibus

O prefeito Doutor Pessoa (MDB) assinou na manhã desta quinta-feira (07) o acordo que põe fim a crise no transporte coletivo de Teresina. A assinatura ocorreu por volta das 9h30, em meio a uma café da manhã no 2º Batalhão de Engenharia e Construção, no centro da capital.

Dr. Pessoa estava discutindo a parceria para realização de obras quando o procurador geral do município, Aurélio Lobão, entregou o documento e ocorreu a assinatura. 

Entre os pontos acertados, estão o pagamento da dívida de R$ 21 milhões, cobrada pelos empresários, e o controle da bilhetagem eletrônica pela prefeitura de Teresina. 

“Esse acordo foi fechado ontem a noite. Ficou acertado que a prefeitura vai pagar cada consórcio individualmente. São quatro consórcios.  Cada um irá receber o valor correspondente ao que tem direito do total de R$ 21 milhões. Também acertamos que a bilhetagem será repassada à prefeitura aos poucos. O processo será iniciado agora e finalizado com o tempo. A determinação é que os ônibus voltem a rodar imediatamente”, disse o procurador Aurélio Lobão. 

O prefeito Dr. Pessoa afirmou que agora falta apenas a homologação na justiça para que o acordo passe a valer. “A prefeitura sempre teve o desejo de resolver a questão. Ocorreram alguns desencontros, mas sempre trabalhamos para resolver essa questão”, disse o prefeito. 

Dr. Pessoa afirmou ainda que a expectativa é que o serviço prestado pelas empresas possa voltar à normalidade. “Queremos os ônibus rodando, em todas as zonas da cidade. A prefeitura vai fazer a sua parte  e esperamos que os empresários cumpram a parte deles”, destacou. 

O acordo entre os empresários e prefeitura foi definido ontem, após um encontro que contou com a participação dos representantes dos consórcios que operam o sistema, procurador geral do município, Aurélio Lobão, e do superintendente da Strans, Cláudio Pessoa.

Foto: Rômulo Piauilino/ Semcom

Pagamento dívida 

O novo acordo definiu que o pagamento de R$ 21 milhões em dívidas de subsídios será feito de forma parcelada.Inicialmente, serão pagos R$ 10,5 milhões, divido em três parcelas: R$ 4,5 milhões em outubro, R$ 3 milhões em novembro e R$ 3 milhões. 

Os outros 10,5 milhões serão divididos ao longo do ano de 2022, em parcelas de R$ 1 milhão. 

Uma comissão também deve ser instituída para discutir os pontos que ficaram em aberto, como a dívida atual, referente aos subsídios de 2021, e as gratuidades. 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: