Roubo e lavagem de dinheiro: ações da polícia hoje em Água Branca

A Polícia Civil do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), com apoio do 4°DP, 8°DP, 11°DP, 12°DP, 25°DP, Polinter, Rone e Bope, deflagrou na manhã desta quarta-feira (26/10), Operação Latronum para cumprimento de sete mandados de prisão, 12 doze de busca e apreensão e duas conduções coercitivas. As ações estão acontecendo nas cidades de Teresina, Água Branca e Caxias (MA).

A operação, que conta com a participação de 50 policiais civis e militares, visa a desarticulação de organização criminosa especializada em arrombamentos de estabelecimentos comerciais, roubos e lavagem de dinheiro.

Latronum significa ‘ladrões, assaltantes’, em latim.

As 11h30 desta quarta-feira será concedida entrevista coletiva à imprensa na sede do GRECO para detalhamento da operação e apresentação de resultados.

Um empresário do ramo de pneus foi preso suspeito de integrar a quadrilha. Ele usaria a empresa para disfarçar as atividades de arrombamentos de caixas eletrônicos e Correios no estado.

“Não vamos achar que é o último ou que não vai mais acontecer, até porque a gente não para de investigar, são quadrilhas grandes, e a gente tem a plena certeza de que precisa tomar algumas providências e prender mais gente. Nosso objetivo é fazer com que todos os indivíduos sejam presos, não vamos aqui dar essa garantia que não tenha eles soltos e que possam fazer, mas nosso objetivo é evitar, tanto na parte ostensiva com a Polícia Militar, em ações no intuito de fazer as ações em flagrante, se não for possível, agora vamos ara as investigações, tenho certeza que vamos fazer as prisões e que vamos desarticular essas quadrilhas, principalmente essas de estouros de caixas eletrônicos e Correios”, disse o secretário de Segurança Fábio Abreu.

Empresário empregava familiares no crime

As investigações apontaram que o suspeito empregava familiares na ação criminosa, entre estes o genro, Cássio Fernando Gomes de Oliveira, o filho, Jeferson Cerqueira de Moraes, uma namorada identificada como Roseany e mais dois homens identificados como Francisco Leite do Nascimento e Francisco Daniel da Rocha Pinheiro.

“Na semana já realizamos algumas prisões e agora deflagramos essa operação para prender o chefe da quadrilha que tem uma empresa de fachada, mas na verdade, ele é responsável por fazer todo o processo logístico da quadrilha, fornecendo e alugando armas… organizando em si as ações criminosas. Ele foi preso em cumprimento a mandado de prisão e apartir de então vamos fazer novas oitivas para que toda a quadrilha seja presa. Queremos desarticular essa quadrilha por inteira que tem esse indivíduo com uma loja de fachada”, disse Fábio Abreu, secretário estadual de Segurança. 

Além de Teresina estão sendo realizadas buscas em Água Branca- PI e em Caxias-MA. Na zona rural do estado vizinho, foram apreendidos no sítio de Cerqueira duas armas de fogo, três veículos, dois carregadores de pistola e uma munição 9 mm. 

De acordo com o coordenador do Greco, Carlos César Camelo, as investigações apontaram a participação da organização criminosa em pelo menos duas ações recentes: o arrombamento a uma farmácia no centro de Teresina e o roubo a uma vendedora de joias. 

“Nesses dois crimes ficou bem caracterizado a participação da quadrilha liderada pelo Cerqueira. Ele não atuou diretamente como autor desses dois casos. Na verdade, ele era o organizador, a pessoa que cooptava menores para a prática desses assaltos. O Francisco Leite do Nascimento, por exemplo, já tem antecedentes criminais por tráfico de drogas e é um dos autores do arrombamento ao cofre da Extrafarma”, explica Camelo. O filho do empresário foi preso na própria residência no Dirceu I. No imóvel foi apreendido um colete da Polícia Civil. 

Carlos César ressalta que as joias roubadas foram penhoradas na Caixa Econômica Federal.

“Estamos conseguindo provas robustas. Durante a investigação oi comprovado o roubo das joias. Através do juiz Luís Moura, da Central de Inquéritos, conseguimos um mandado de busca e apreensão contra a Caixa, pois as joias haviam sido penhoradas lá, ou seja, os bandidos estão ‘lavando’ o dinheiro arrecadado no crime utilizando uma instituição bancária. Mais tarde vai ser dado cumprimento a esse mandado, para que os bens possam ser restituídos à vítima”, reitera Camelo. 

De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha é bem organizada, inclusive, com divisão de tarefas. Na loja de Cerqueira, na avenida Noé Mendes, conhecida como Avenida das Hortas, equipes da Polinter apreenderam um veículo de luxo avaliado em R$ 150 mil. 

“O carro foi apreendido para que possamos ver a procedência dele: se é legal ou fruto de algum ilícito. O veículo foi levado para a sede do Greco”, disse o coordenador da Polinter, delegado Cadena Júnior.

%d blogueiros gostam disto: